Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

IFSP Campus São Roque apresenta Ações Climáticas no Congresso e Premiação Escolas pelo Clima 2022

Publicado: Sexta, 25 de Novembro de 2022, 15h13 | Última atualização em Sexta, 25 de Novembro de 2022, 17h21 | Acessos: 264

Na última quinta-feira (23/11) as professoras Glória Cristina Marques Coelho Miyazawa, Thaís Minatel Tinós e a estudante Ana Carolina Taborda de Castro apresentaram as Ações Climáticas do IFSP Campus São Roque no Congresso e Premiação Escolas pelo Clima 2022. Desenvolvidas com estudantes do 1º ano do Ensino Médio, as ações objetivaram formar discentes críticos, que pensem e interpretem a complexidade do tema emergência climática, tornando-se protagonistas nas ações e tomada de decisões, além de dar visibilidade para a temática das mudanças climáticas, informar e sensibilizar toda a comunidade.

Desde agosto o campus de São Roque é signatário do Movimento Escolas pelo Clima, que visa conectar educadores e formar uma comunidade de escolas comprometidas a agir na busca de soluções para a emergência climática. Dentre as mais de 500 escolas signatárias, 35 foram selecionadas para apresentar suas iniciativas no congresso e premiadas dentro de cada categoria de ensino.

As Ações Climáticas do IFSP Campus São Roque ficaram entre as três mais bem avaliadas na categoria Ensino Médio, Ensino Superior e EJA e serão publicadas em um Ebook no próximo ano. Elas envolveram inicialmente uma abordagem teórica do tema mudanças climáticas para que os alunos construíssem uma base conceitual e debates a partir da exibição de documentários como “A Campanha contra o Clima”, da plataforma Ecofalante Play, "Seremos história?”, "O amanhã é hoje” e “Belo Monte - Depois da inundação”. Ao longo dos meses de agosto e setembro os estudantes dedicaram-se a compreender como as mudanças climáticas têm afetado os solos, a hidrografia, a biodiversidade e, consequentemente, têm ameaçado o bem-estar humano. Eles foram estimulados a refletir, em escala global e local, sobre os efeitos dos eventos climáticos extremos e identificar dentro da sua realidade como interpretá-los e, se possível, solucioná-los de forma cooperativa.

Posteriormente os estudantes desenvolveram projetos que foram apresentados na Feira de Ciências da X Jornada de Produção Científica e Tecnológica e XIII Ciclo de Palestras Tecnológicas do IFSP – SRQ. Para transmitir as informações sobre a emergência climática escolhida, os grupos optaram por recursos como maquetes, experimentos e até mesmo um desfile de moda com uma abordagem crítica ao setor têxtil. Os projetos tiveram como base uma abordagem sistêmica, capaz de integrar os múltiplos aspectos da problemática ambiental (naturais, culturais, históricos, sociais, econômicos e políticos). Essa abordagem foi fundamental para a construção de uma visão crítica dos alunos que transpareceu na escolha prioritária de materiais recicláveis e/ou reutilizáveis para a elaboração de maquetes ou experimentos, nas maquetes e experimentos mostrando que as populações vulneráveis são as mais atingidas pelas mudanças climáticas e até na manifestação contra o racismo expressa em um dos modelos de roupa desfilados.

Muitos estudantes se reconheceram como agentes transformadores da sociedade e participaram da coleta de assinaturas para apoiar a aprovação do projeto de lei Amazônia de Pé. O tema emergência climática continua sendo trabalhado com a turma, com destaque para identificação de ativistas climáticos brasileiros (jovens que desenvolvem ações interessantes), as questões relacionadas ao racismo ambiental e elaboração de planos de ação pelos estudantes sobre a temática para serem desenvolvidos de forma prática em 2023.

 

 

 

 

Fim do conteúdo da página